Robôs e o Futuro do Presente — Beia Carvalho — Palestras

Quer ficar por dentro do futuro? Fácil. Deixe seu email e receba os super artigos da Futurista Beia Carvalho 😉

 
2 de março de 2017

Robôs e o Futuro do Presente

Coca-Cola testa Bots para Criar Anúncios

Acordei hoje com essa da Coca-Cola

Um dos maiores anunciantes mundiais está dispensando seus criativos de carne e osso em troca de algoritmos num experimento para ver se robôs (bots) com inteligência artificial conseguem dar uma surra em seus mestres humanos. Me lembrei de um recente artigo que li, 5 Empregos que os Robôs vão Pegar Primeiro, e que traduzo livremente abaixo para você.

Atentem na lista abaixo para o terceiro emprego a ser perdido para os robôs. Segundo seu autor Shelly Palmer, isso aconteceria daqui 2 décadas. #SÓQUENÃO.

Como todas as previsões de um mundo que deixou de caminhar para saltar – as tais mudanças exponenciais – essas também soam excitantes e amedrontadoras, ao mesmo tempo. Tá preparado?

Máquinas que Aprendem - não é futuro.

Os pesquisadores da Universidade de Oxford estimaram 47% dos empregos dos EUA podem ser automatizados dentro das próximas 2 décadas. Mas qual dos empregos de terno-e-gravata os robôs vão pegar primeiro?

Primeiro, vamos definir “robôs” (para este artigo) como tecnologias, como algoritmos inteligentes rodando em plataformas dedicadas, que foram treinados para fazer tarefas, que hoje em dia são feitas por seres humanos.

Com isso em mente, vamos pensar no que você vai fazer depois do seu trabalho de escritório. Oh, e sim, eu tenho uma solução para o curto prazo que fará com que você seja o último a perder seu trabalho para um robô, mas isso eu deixei para o final.

1 – Média Gerência

Se a principal tarefa na sua função é levar um número de uma caixa de Excel para outra caixa de Excel e escrever uma história sobre como o número saiu de um lugar e foi para em outro, os robôs já estão batendo a sua porta. Qualquer trabalho onde o conhecimento “único e especial” seja traçar uma relação causal entre números numa matriz será o primeiro a ser substituído por um robô. Se liga!

2 – Vendedores de Commodities (Vendedor de anúncios, insumos)

A menos que você venda sonhos ou mágica, ou negocie usando vantagens especiais, subornos ou outros adicionais que nada tenham a ver com especificações, preço e disponibilidade, comece a pensar sobre o próximo show. As máquinas retiram tantos custos do processo de vendas (solicitação de orçamentos e propostas, cotação, pedidos e sistema de entregas), que é de responsabilidade de seu CEO e da diretoria contratar robôs. Você está lutando contra a gravidade … fuja!

3 – Redatores de Relatórios, Jornalistas, Locutores

Escrever não é nada fácil. Mas escrever relatórios é fácil. As máquinas podem aprender a ler dados, combinar dados ou vídeos, ou analisar quase todo tio de material de pesquisa e criar um relato bem legível e inteligível. Sistemas de conversão de texto em voz (text-to-speech) estão evoluindo tão rapidamente e eles soam tão reais, que não só os comentaristas, mas os analistas esportivos perderão seus empregos, em breve – o mesmo com os comentaristas e redatores financeiros. Sabe aquele romance que você sempre pensou em escrever? Comece agora, antes que as máquinas aprendam a escrever criativamente.

4 – Tesoureiros e Contadores

O processamento de dados provavelmente criou mais empregos do que os eliminou, mas os robôstesoureiros-contadores tão superiores a seus equivalentes humanos, que até você vai querer contratar um. Os robôs contadores ainda estão em sua infância, mas é impressionante como lidam com o contas a pagar e receber, controles de estoques, auditorias e várias outras funções de contabilidade para as quais precisávamos humanos. As quatro maiores auditorias (The Big Four), Deloitte, Ernst & Young, KPMG e PricewaterhouseCoopers), serão sacudidas em pouco tempo.

5 – Médicos

Esse talvez seja o único exemplo positivo dos robôs roubarem os empregos humanos. A atual população mundial é de 7.3 bilhões e devemos atingir 8.5 bilhões em 2030, 9.7 bilhões em 2050 e11.2 bilhões em 2100, de acordo com o novo relatório da UNDESA (Departamento de Economia e Bem Estar Social das Nações Unidas). Na prática, se todo mundo que alguma vez desejou ser médico virasse médico, ainda não teríamos médicos suficientes.

ROBODOC: Médicos-Robôs. Ou médicos e Robôs?

A boa notícia é que os robôs são excelentes médicos, diagnosticadores e cirurgiões. De acordo com o Memorial Sloan Kettering Cancer Center, o supercomputador IBM Watson faz parte da equipe de uma dúzia de hospitais americanos aconselhando os melhores tratamentos para vários tipos de câncer, e também ajudando a diagnosticar canceres em seus estágios iniciais. E cirurgiões-robôs-ultra-precisos estão sendo usados para um cirurgias que vão de uma prótese de joelho a correção da visão. Esta tendência está avançando num paço inacreditável. Não sei como serão as maneiras de um doutor-robô ao lado da cama, mas você poderia programá-lo com um algoritmo para ser “acolhedor e alegre”. (Talvez a gente possa programar os nossos médicos a serem acolhedores e alegres).

Mas Poucos Empregos estão a Salvo

Durante a administração Obama, um relatório do presidente foi publicado (não está mais disponível no site whitehouse.gov, mas o original você pode ler aqui que incluía uma previsão terrível: “Há 83% de chance que trabalhadores que ganham US $20 por hora ou menos (R$ 10.000 por mês) poderão ter seus trabalhos substituídos por robôs nos próximos 5 anos. Aqueles que ganham US $40 por hora (R$ 20.000 por mês) tem 31% de chance de perder suas posições para máquinas.” Não há dúvidas, que os robôs estão chegando.

O que fazer a Respeito

Propus, num artigo que eu escrevi em 2015, “O que você vai fazer depois que sair do Escritório”:

“Primeiro, progresso tecnológico não é bom nem ruim; é só isso, progresso tecnológico. Não adianta nada se preocupar com isso, e muito menos fantasiar história sobre como eram bons os velhos tempos. Isso não ajuda ninguém. A boa notícia é que nós sabemos que o que está por vir. E temos que nos adaptar a esse progresso.

Adaptar-se a essas mudanças passa por entender como a parceria entre homem-máquina pode evoluir. Isso é complicado, mas não é impossível. Sabemos que a aprendizagem automática (máquinas que aprendem) será usada para automatizar várias, ou quase todas, tarefas cognitivas de nível pouco elevado Nosso objetivo é usar a nossa habilidade de alto nível cognitivo para antecipar que partes de nosso trabalho serão totalmente automatizadas e que partes de nosso trabalho serão tão difíceis para as máquinas fazerem, para que a parceria homem-máquina seja a solução mais prática.

Com essa estratégia, nós podemos começar a trabalhar as nossas habilidades para nos tornarmos melhores que nossos pares para alavancar a parceria homem-máquina. Nós sempre fomos usuários de ferramentas; agora nos tornaremos sócios de ferramentas.”

Transformar-se numa super equipe parceira do homem-máquina não vai salvar todos os empregos, mas é um caminho claro para prolongar sua carreira atual enquanto você quebra a cabeça para onde seu trabalho deve evoluir para que você possa continuar a transferir o valor da sua própria propriedade intelectual para a riqueza. 

Notas:

1) Coca-Cola prefere Inteligência Artificial a Cérebros humanos para criar seus anúncios

2) Traduzido do artigo publicado em AdAge, The 5 Jobs Robots Will Take First, de Shelly Palmer, em 27 de fevereiro de 2017.

3) Definição do autor Shelly Palmer para “white-collar worker“: pessoas que ganham dinheiro traduzindo o valor de sua propriedade intelectual para gerar riqueza.

4) Definição do autor para “manual laborer“: pessoas ganham dinheiro com trabalho braçal, traduzindo o valor de sua energia mecânica para gerar riqueza. 

Sobre o autor Shelly Palmer

Indicado com uma das top 10 vozes em tecnologia do Linkedin , ele é o CEO do The Palmer Group, expert em aconselhamento estratégico, soluções tecnológicas e prática de desenvolvimento de negócios focada no nexo entre a mídia e o marketing, com ênfase especial em aprendizagem artificial e tomada de decisões baseadas em dados. Ele tem uma coluna semanal na AdAge, e é um comentarista regular da CNBC e CNN. Siga @shellypalmer ou shellypalmer.com ou assine para receber emails diários: http://ow.ly/WsHcb


Comentários


  1. Para contatar e contratar palestras com a futurista Beia Carvalho, ligue 11 99111 3019 #futuro #inovação #gerações #engajamento #longevidade #novas tecnologias #educação #novaera #futurodotrabalho

    13 de fevereiro de 2018, 18:25
    By: beia


Comentar:

Você pode usar tags e atributos HTML